Comunicado de Imprensa

Water Stories 2.1: Um mergulho com cinco cientistas portugueses em “Água – uma exposição sem filtro”

05 de Março de 2022



Visitas guiadas gratuitas este sábado, 5 de março, entre as 11.00 e as 16.00

Quais os efeitos da seca na biodiversidade do planeta? Como podemos explorar os recursos hídricos de forma inteligente e inovadora? Quais as consequências históricas e económicas da seca ao longo dos tempos? E como podemos aproveitar melhor a água nas nossas casas?

Já estamos em contagem decrescente para as Water Stories 2.1, onde voltamos a desconstruir as visitas guiadas a “Água – uma exposição sem filtro”, patente no Pavilhão do Conhecimento. É já este sábado, 5 de março, entre as 11.00 e as 16.00.

Cinco cientistas revelarão o trabalho desenvolvido por diferentes equipas de investigação, com o apoio da equipa do Pavilhão do Conhecimento.

Em linha com a exposição e com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o Pavilhão do Conhecimento preparou uma programação especial dedicada a este recurso essencial. Através da reflexão e do diálogo, o público será desafiado a assumir um compromisso por um futuro com água.

 

Cientistas Convidados:

Ana Fonseca Galvão

Instituto Superior Técnico

É professora assistente no Instituto Superior Técnico desde 2003. Os seus interesses de investigação incluem Soluções Baseadas na Natureza (SBN) relacionadas com o ciclo urbano da água, reutilização de águas residuais e microplásticos nas águas residuais. O seu foco em SBN inclui o estudo de tecnologias específicas como a construção de zonas húmidas e paredes verdes para o tratamento de água cinzentas (água residual não-industrial), bem como a análise e aplicação de barreiras, e a contribuição destas tecnologias para a resiliência urbana.

 

Carla Sousa Santos

MARE-ISPA

É doutorada em Biologia, as suas principais áreas de trabalho são a ictiofauna de Água Doce, Genética Populacional e Aplicada à Conservação, Filogenia e Filogeografia, Comportamento Reprodutor e Conservação ex-situ de Peixes. Coordenadora do “Projeto Peixes Nativos – Monitorização e Educação Ambiental” e responsável científica por um programa de conservação ex-situ para repovoamento de populações ameaçadas de peixes, desde 2008. Membro da Comissão para a Sobrevivência das Espécies da UICN, do grupo de trabalho “Biodiversidade” para a elaboração da Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas, e do grupo de consultores do FishBase. É co-autora do primeiro Atlas Genético Nacional de Peixes Ciprinídeos.

 

João Correia

Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar

É doutorado em pesca comercial de tubarões, contando com 25 anos de carreira dedicada ao estudo destes animais. Esses 25 anos incluem passagens pelo Zoo de Lisboa, IPIMAR e Oceanário. Desde 2005 que leciona várias disciplinas na área da biologia marinha na ESTM e é fundador-gerente da empresa Flying Sharks. É autor de várias dezenas de publicações científicas, centenas de palestras sobre tubarões e/ou motivacionais e das obras "Sex, Sharks and Rock & Roll" e "Tubarões Voadores".

 

João Nascimento

CERIS-IST

É engenheiro de Recursos Hídricos pela Universidade de Évora e doutorado pelo Instituto Superior Técnico, tem desenvolvido a sua atividade profissional no âmbito da hidrogeologia. Tem estado envolvido em projectos de investigação no Instituto Superior Técnico e como especialista de recursos hídricos em projetos de cooperação e desenvolvimento das Nações Unidas, Banco Asiático de Desenvolvinento, Banco Africano de Desenvolvimento, Millenium Challenge Corporation dos Estados Unidos entre outros. É autor ou coautor de cerca de 70 trabalhos científicos.

 

Ana Rita Matias

ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa

É formada em Sociologia pelo ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa. Atualmente é doutoranda no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, no programa doutoral em Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável. Desde 2011 faz investigação em questões ligadas às desigualdades sociais, mercado de trabalho, condições de vida e ambiente. Encontra-se a desenvolver uma tese de doutoramento, financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, sobre os impactos socioeconómicos dos períodos de seca na região portuguesa do Alentejo, intitulada "A convivência com a seca: desigualdades socais e impactos das alterações climáticas no Alentejo".

 

Entidades Parceiras:

 

Mais informações

Departamento de Comunicação

Catarina Figueira: 96 156 09 26


O Pavilhão do Conhecimento é membro de:

rede logo
ecsite logo
eusea logo
astc logo
turismo logo
icom logo


Newsletter


Subscrever Subscrever

icom logo

icom logo