Passaporte Canino

No primeiro domingo de cada mês, os nossos visitantes podem entrar no Pavilhão do Conhecimento na companhia do seu patudo.


O programa Passaporte Canino foi desenvolvido a pensar no melhor amigo do homem: o cão. Os workshops serão dedicados ao treino e educação, ao recurso de animais para fins terapêuticos e à interacção das pessoas com os animais. Terão a duração de duas horas e a participação é gratuita. 

Deste programa fazem parte ainda três conversas com investigadores, nos meses de Janeiro, Abril e Junho de 2018. Em foco estará o comportamento animal, a utilização de animais em investigação médica e a conservação de espécies e de ecossistemas. 

Quanto aos patudos, vão descobrir que, afinal, a ciência não é um osso assim tão difícil de roer…  

 


Próximo Workshop

7 de Janeiro | Inscrições brevemente


 

 

 

Este programa conta com o apoio da Pet B Havior e do ISPA - Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida, como parceiro científico.

 

Notas:

Stress dos gatos durante passeios e em espaços desconhecidos

Os gatos têm uma natureza muito diferente da dos cães. Embora haja gatos com uma ligação muito estreita e carinhosa aos donos, eles são predominantemente animais solitários e não de matilha.  Mesmo os gatos que vivem em pequenas comunidades tendem a manter um comportamento independente e dessincronizado dos demais animais. Isto significa que eles não têm a mesma tendência para seguir o movimento de um líder e por isso não é vulgar que eles se sintam bem a andar à trela. Para além disso, a adaptação de um gato a uma coleira com trela é lenta e difícil pois esta tem tendência para os assustar e gerar desconforto.  O treino pode porém minimizar este efeito mas é demorado e requer muito tempo para que seja bem conduzido e eficiente. 

 

Os gatos são animais territoriais e tendem a sentir-se no seu máximo conforto dentro do território que lhes é familiar. Quando um gato sai do seu território, ele fica muito vulnerável a diferentes fontes de stress e manifesta-o prontamente. A presença de cães no mesmo espaço é uma das maiores fontes de stress para grande parte dos gatos, pelo que a mistura das duas espécies é altamente não recomendável, até mesmo nas salas de espera das clínicas veterinárias.

 

Comportamentos inconvenientes em espaços públicos

Um gato sente-se mais confortável se puder explorar o seu ambiente a partir de um ponto alto, pelo que tem tendência para estar menos confortável ao nível do solo num espaço desconhecido e a sua tendência natural será trepar para um ponto mais alto. O controlo das necessidades fisiológicas é mais imprevisível num ambiente de interior uma vez que os gatos estão habituados a fazer as suas necessidades nos tabuleiros com areão dentro de casa.

Leonor Galhardo, ISPA

 

A visita dos animais de estimação obedece obrigatoriamente às regras de saúde, higiene e segurança expressas na legislação vigente. Consulte o regulamento.


GALERIA DE FOTOS




Partilhe




ecsite logo
eusea logo
astc logo
icom logo
turismo logo


Newsletter


Inscreva-se Inscreva-se