Cheira bem, cheira a ciência!

Cheira bem, cheira a ciência!


Os Santos Populares ainda não acabaram e vai ouvir-se cantar este verso numa rua especial de Lisboa. Deste-me um nome de rua é o nome de um famoso fado de Amália Rodrigues e da iniciativa que vai levar o Pavilhão do Conhecimento e a Ciência Viva a mudarem-se de armas e bagagens para a Rua Abade Faria, já na próxima sexta-feira, dia 28 de Junho

 

Esta rua é a casa de muitos lisboetas. Mas é também o nome de um cientista e religioso luso-goês, José Custódio Faria, que para além da sua formação em Teologia foi um dos primeiros no estudo científico do hipnotismo. Inspirado nas histórias de Abade Faria e no livro que o Nobel da Medicina Egas Moniz escreveu sobre esta personalidade, vamos encher a sua rua de vida, ciência, sabores, histórias e memórias, numa programação que envolve a população do bairro. 

 

O hipnoterapeuta Mário Rui Santos e o neurocientista Rui Costa (Fundação Champalimaud) têm encontro marcado às 18.30 na Heart of Buda - Tattoo Shop, que fica no número 8 A da Rua Abade Faria. Às 21.30 o filme O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas, será projectado junto ao Quiosque da Alameda. O que é que isto tem a ver com Abade Faria? É que o escritor usou uma versão ficcionada desta personalidade no seu famoso romance. 

 

No sábado, 29 de Junho, enquanto os mais novos exploram o interior do cérebro na Farmácia Paes, os adultos vão descobrir os recantos da Rua Abade Faria num peddy-paper com partida da mercearia do Sr. Manuel Rodrigues. Vai haver ainda tempo para visitar o Instituto Superior Técnico e conhecer a história deste pólo com mais de um século de investigação científica. Na Tasca do Miguel o menu de almoço é composto por Sabores de Goa, cidade onde em 1746 nasceu Abade Faria. A investigadora Conceição Loureiro, do Instituto Superior de Agronomia, vai explicar a função das especiarias nos cozinhados. 

 

Durante a tarde a Alameda Afonso Henriques vai ser palco de várias experiências de electromagnetismo, jogos sobre o cérebro (com os investigadores do Departamento de Neurociências do Instituto de Medicina Molecular), demonstrações de skate e um jogo que remonta aos tempo dos faraós, o Carrom. A bicicleta Ciência Fresquinha do Pavilhão do Conhecimento também vai lá estar para demonstrar a todos os lisboetas que a ciência pode ser tão apetecível como uma bola de gelado num dia de Verão. 

 

O olisipógrafo José Sarmento Matos marca encontro junto à Fonte Luminosa às 17.00 para um périplo que nos vai levar a descobrir a história das ruas do bairro do Alto do Pina, enquanto o EKVA irá mostrar as raízes de José Custódio Faria ao ritmo de sonoridades goesas na Casa de Repouso da Alameda. É a esta personalidade que brindaremos com vinho, iguarias goesas e ao som dos Bombrando, às 19.30, na Alameda D. Afonso Henriques. 

 

Programa completo em www.pavconhecimento.pt 

 

Mais informações:

Unidade de Comunicação e Imagem

Catarina Figueira - 96 156 09 26




Partilhe




ecsite logo
eusea logo
astc logo
icom logo
turismo logo


Newsletter


Inscreva-se Inscreva-se