D804 - A cabeša falante finlandesa


Uma cabeça artificial que sorri e fala consigo? Que fala um finlandês correcto, movimenta-se e olha em seu redor? Que fala outras línguas, mas com uma pronúncia típica finlandesa? Ficção científica? Não, é já hoje uma realidade!

O cérebros que fizeram a Cabeça Falante são: Mikko Sams, Kimmo Kaski, Janne Kulju, Jean-Luc Olivés e Vili Jussila, da Universidade de Tecnologia de Helsínquia e Kari-Jouko Räihä, Veikko Surakka e Päivi Majaranta da Universidade de Tampere. O audio foi produzido por MikroPuhe 4.1, da TimeHouse, Ltd (http://www.timehouse.fi/).

Sob a direcção do Prof. Mikko Sams, as equipas de investigação do Laboratório de Engenharia Computacional da Universidade de Tecnologia de Helsínquia e do Departamento de Ciências de Computadores da Universidade de Tampere, juntaram os seus esforços para construir uma cabeça-robot finlandesa. Trata-se de uma cabeça animada que fala finlandês e que aparece num écran de computador. Quando a articulação de voz é combinada com um sintetizador de voz acústico, o robot fala de forma muito semelhante a um ser humano. O robot também consegue reproduzir expressões faciais básicas. As características do seu discurso podem ser modificadas, tal como a sua estrutura facial. A cor da pele e dos olhos pode ser alterada. Todas estas características são controladas por um interface de utilizador gráfico muito inteligente e fácil de usar.

A equipa de investigação começou a desenvolver esta cabeça-robot estudando os mecanismos cerebrais da percepção audiovisual do discurso, e outras questões como a percepção facial. Este projecto é bastante exigente e a cabeça-robot tem de ser melhorada constantemente. Outras aplicações estão em desenvolvimento, como o “Hyperlips”, um programa para o ensino da leitura dos lábios, onde o cérebro-robot funciona como um professor que pode falar ilimitadamente sem nunca se cansar nem entrar em esgotamento. A equipa de investigação está também a trabalhar no sentido de converter esta cabeça num elemento de interacção homem-computador. Através de um sistema automático de reconhecimento de voz, ela pode tornar a utilização do computador muito mais natural e social. Esta cabeça também consegue reconhecer o estado emocional dos utilizadores e agir em conformidade. Por exemplo, sorrir quando você está contente. O importante é que a visualização da voz através das expressões faciais pode aumentar significativamente a inteligibilidade do discurso. Por isso, a cabeça falante facilita a compreensão do discurso sobretudo em condições particularmente ruidosas. Da mesma forma, o facto de poderem ouvir e ver (através dos lábios virtuais) a voz sintética, pode ser uma grande ajuda para as pessoas com dificuldades auditivas.

1) Olá! Eu sou uma cabeça falante. A minha língua materna é o finlandês. Se quiser que eu fale a sua língua, escreva utilizando o alfabeto finlandês para que possa pronunciar correctamente os sons. Vai encontrar aqui um exemplo. Pode ouvi-lo assim que me puser a falar.

2) ??

http://www.asurdosoeste.rcts.pt/Lingua_Gestual/

Saudacoes/Boa_Tarde/boa_tarde.html

 

A expressão 'olá' tem a seguinte tradução em Braille:

(ver a segunda imagem)