Cães e Gatos

A exposição



Vivem nas nossas casas e ruas, no nosso imaginário e até nas músicas que ouvimos. Já nos acompanham há milhares de anos mas o que sabemos ao certo sobre eles? Como se tornaram tão diferentes dos animais selvagens? Como vêem, ouvem e sentem o mundo?

A nova exposição temporária do Pavilhão do Conhecimento convida miúdos e graúdos a explorarem o mundo dos seus animais de companhia preferidos.

É formada por três áreas temáticas (“Na sua pele”; “Na sua cabeça”, “Nas nossas sociedades”), num total de 47 módulos interactivos.

Foi produzida pela Cité des Sciences et de l’Industrie de Paris e estará patente no Pavilhão do Conhecimento até 8 de Setembro de 2019.

No primeiro domingo de cada mês, o público pode visitar o nosso museu na companhia do seu cão e participar nos workshops do programa Passaporte Canino. No segundo domingo do mês é dia de conhecermos melhor os nossos gatos, através do programa Instinto Felino.


Os módulos

Contorne obstáculos

Alguma vez tentou perseguir um gato? Provavelmente terá poucas hipóteses de apanhá-lo. Este velocista pode percorrer 100 metros em apenas nove segundos. Caçador temível, corre a grande velocidade e trepa com agilidade. E o cão? Os galgos, raça seleccionada para a caça à lebre, chegam a atingir 70 km/h, mas a média de velocidade atingida pelos cães ronda os cerca de 32km/h.

Numa corrida entre obstáculos, em tempo recorde, compare as suas capacidades de corrida com as dos velozes e ágeis animais de companhia.

Até onde saltaria? 

Um gato pode saltar até cerca de 1, 80 m de altura, ou seja, mais de cinco vezes a sua altura! Exemplo de força e de flexibilidade, cai com ligeireza: as patas dianteiras absorvem o choque. O cão consegue saltar várias vezes a sua altura: por exemplo, os cães de defesa ou de salvamento facilmente saltam vedações de 2,30 m. Seremos nós capazes de tamanha proeza? Dê um impulso ao seu corpo e compare a sua capacidade de salto com a dos cães e dos gatos. 

Quem é quem?

Brancos, listados, com pêlo, sem cauda, focinho achatado ou patas curtas, os cães e os gatos são sem dúvida dois dos mamíferos com maior diversidade morfológica. Através do tradicional jogo do “Quem é quem?”, aplicado a estes animais, é possível explorar a grande variedade de características que os seus corpos apresentam como resultado de variações genéticas que surgiram ao longo do tempo.  

Raças de cães portuguesas

Actualmente existem 11 raças de cães portuguesas: cães de protecção e condução de gado, cães de caça e um cão de faina. Seleccionadas de acordo com características morfológicas e comportamentais únicas, são resultantes da diversidade cultural e geográfica do país. Espreite o interior das 11 casotas que integram a nossa exposição e descubra as diferenças que existem entre estas raças.

Experiências sensoriais

Os gatos e os cães vivem no seu próprio mundo sensorial, que é bem diferente do nosso. O seu olfacto e audição são muito desenvolvidos. Vêem as coisas desfocadas, mas isso não os impede de usar os olhos para diferenciar o que os rodeia. Os gatos sentem as vibrações graças aos bigodes, que captam movimentos ínfimos do ar. Ao utilizarem os sentidos são também capazes de interpretar as entoações da nossa voz e de decifrar as nossas próprias emoções. Ponha-se na pele de um cão e de um gato e sinta como reagem estes animais em determinadas situações.

Do miar ao ladrar

Ao ladrar, o cão assinala de longe a sua presença ou comunica de perto com um par ou um humano. Cada cão tem um ladrar identificável, segundo a sua morfologia. Os sons emitidos diferem também consoante a raça. O gato vocaliza de forma muito diversificada para comunicar com outros gatos, humanos ou outras espécies. Mia de inúmeras maneiras, rosna, cospe, grita, resmunga ou arrulha, emitindo sinais visuais que reforçam a mensagem. Será que conseguimos decifrar o que nos dizem os cães e os gatos através das suas vocalizações? Ouça-as e ponha-se à prova.

Por todo o mundo

Por todo o mundo existem cães e gatos mas será que todos os países têm a mesma relação com estes animais? Serão adorados, rejeitados, excluídos, idolatrados ou mesmo mimados? Um globo terrestre rodeado de pequenos representantes de diferentes países apresenta o seu estatuto em diferentes pontos do globo.

Arte para quatro patas

Visite a exposição com o seu amigo de quatro patas no primeiro domingo de cada mês e detenham-se na nossa mini galeria de arte. Acompanhados do passaporte canino, tutores e cães poderão usufruir de um momento de arte e ciência. 

Mega-malga

A cereja no topo do bolo a que nenhum visitante conseguirá resistir: uma piscina de bolas que recria uma mega malga de ração onde crianças e adultos vão poder mergulhar.  

Uma questão de cocós

Cheiros, micróbios, quedas, situações desconfortáveis… Há muito tempo que os dejectos caninos são um verdadeiro problema para os cidadãos e para os municípios. Em Portugal, principalmente nas grandes cidades, os cães produzem toneladas de excrementos por ano que custam milhares de euros em limpeza. No entanto, a situação tem evoluído. Hoje em dia a lei diz que é obrigatório apanharmos os cocós dos nossos cães e é alvo de multa quem finge ignorar o que o cão acabou de deixar no passeio. Apanhar é fácil e muito mais agradável para todos! Num momento fotográfico assuma o compromisso de que “o cocó do seu cão nunca fica no chão”.

A exposição
nos media


Reportagem na SIC


Entrevista na CM Tv

Estamos à sua espera!


Visite o Pavilhão do Conhecimento.


COMPRAR BILHETE

Apoios


Hostpital do Gato
Clínica do Animal
Pet B Havior