PAVILHÃO DO CONHECIMENTO
CIÊNCIA VIVA
REDE CENTROS CIÊNCIA VIVA
facebookfacebookfacebook

O Pavilhão do Conhecimento é um dos locais preferidos dos turistas de todo o mundo.

Trip Advisor

Conheça o programa Ciência Viva.

Logo Ciência Viva

Já visitou os Centros Ciência Viva?
Descubra onde estão.

Logo Ciência Viva

Descubra este projecto inovador.

Escola Ciência Viva

drosofila

Drosófila

A Utilização da Mosca do Vinagre em Genética

Drosophila melanogaster, é um excelente modelo biológico para realizar análise genética. É intensivamente estudada há cerca de um século e a sequenciação grosseira do seu genoma (13.601 genes contidos em 4 cromossomas) foi comunicada em Março e revista em Outubro do ano 2000.

É também um bom modelo para aprender os princípios da hereditariedade.

Cruzando indivíduos que diferem em características facilmente visíveis, e estendendo esta análise até aos seus netos, é possível determinar, ao fim de um mês, quantos genes estão envolvidos, que formas do gene são dominantes ou recessivas e se os genes em causa estão, ou não, localizados num cromossoma sexual.

As vantagens da drosófila no laboratório:

·Existem colecções de mutantes para muitas características;

·Manutenção em laboratório à temperatura ambiente (18-25ºC);

·Poucas exigências alimentares;

·Pequeno espaço de cultura;

·Facilmente observável à lupa (amp. 20-40x);

·As fêmeas são muito profícuas;

·Demoram 12 dias a chegar ao estado adulto;

·Cromossomas gigantes nas glândulas salivares das larvas;

·Esperança média de vida de 50 dias.

A forma que predomina na natureza:

·selvagem (normal)

Mutantes:

·olhos brancos (white)

·corpo escuro (ebony)

·corpo amarelo (yellow)

·asas encaracoladas (Curly)

·asas vestigiais (vestigial)

Estas mutações são algumas das que se observam nas populações naturais de drosófila. Os biólogos compreendem a função apropriada de cada gene estudando as mutações. Se um gene alterado originar um mutante, por exemplo, com asas pequenas, os cientistas sabem que a versão saudável do gene é indispensável para a formação correcta das asas.

As mutações são alterações dos genes que podem ter um efeito benéfico ou preju-dicial ao indivíduo. Podem actuar alterando apenas o seu aspecto exterior, como a cor, ou modificar o metabolismo interno de forma tão grave que provoque a morte. As alterações da cor podem ter vantagens adaptativas para os insectos. Por exemplo, se tiverem uma cor parecida com a do local onde costumam pousar podem passar despercebidos aos predadores. As mutações estão na base do aparecimento de novas formas em evolução. Ao criar novas versões dos genes, podem chegar a originar-se novas espécies.

As instruções genéticas para criar uma mosca (ou qualquer outro organismo) estão gravadas no seu DNA, uma molécula longa e em espiral que está empacotada em estruturas denominadas cromossomas. Cada cromossoma é composto por milhares de secções individuais, os genes, que são as unidades de informação genética. O Genoma é o conjunto dos genes contidos em todos os cromossomas do indivíduo.

O pente sexual - permite distinguir os machos das fêmeas

As drosófilas macho e fêmea recentemente eclodidas são muito parecidas. Os machos só conseguem distinguir-se observando o pente sexual - uma estrutura pilosa no par de patas anterior. As patas das fêmeas não possuem pente sexual.

As larvas das drosófilas escavam galerias quando se alimentam do meio de cultura. No fim da 3ª fase larvar, vão para uma zona seca e formam um casulo, a pupa. Quando os adultos eclodem são pouco pigmentados e as asas parecem um pára-quedas por abrir. Ao fim de 1 hora as asas ficam distendidas e ao fim de 8 horas vêm-se as cores do adulto.

Para saber mais:

www.ordembiologos.pt/biologias/n1/dro/drosophila.html